Salvador – 2º dia: Pelourinho

   A previsão do tempo havia mostrado um dia chuvoso, mas não foi bem isso o que aconteceu. Acordamos com um Sol tímido entre as nuvens e um calor tipicamente baiano.
   A manhã começou no Pelourinho ou “Pelô” para os íntimos. #ficadica: não aceite pulseirinhas, nem compre cordão e nem contrate nenhum serviço de guia de pessoas estranhas! Pode parecer ofensivo, mas me senti um pouco insegura com a abordagem de algumas dessas pessoas.


   O Pelourinho está mesmo muito mal cuidado e sujo. Mas até que vi que estava rolando obras de conservação e restauração em alguns monumentos históricos, acredito que para a Copa das Confederações.
  
Pelourinho
 Como nem eu, e nem meu namorado somos católicos não fazemos questão de passar um dia inteiro 
vendo igrejas (na Bahia tem uma igreja para cada habitante!!Ou quase isso! haha) a visita ocorreu bem rápida e a única igreja que fiz questão de ir foi a de São Francisco, e pudera, uma igreja toda trabalhada no ouro não se vê por aí todo dia.
   O pátio de azulejo português logo na entrada está precisando ser restaurado urgente! Um trabalho tão lindo se perdendo no tempo e no descuido das pessoas que deveriam zelar e cuidar de um patrimônio como este. Mas entrando no templo de fato, que surpresa a minha, pois tudo o que já havia lido e visto pela internet pareceu-me infinitamente mais grandioso. A igreja é realmente linda e os detalhes do teto, das esculturas e todo aquele trabalho ... Meu Deus!! Ainda fui no dia em que o coral estava ensaiando o que tornou esta visita ainda mais especial.  
Coral na Igreja de S. Francisco

Interior da Igreja de S. Francisco
   Descendo o Elevador Lacerda, uma volta no Mercado Modelo para comprar as lembrancinhas da viagem.
Mercado Modelo
Fica a dica: Para quem tiver mais tempo, e assim desejar, mais um 7km acima do Mercado Modelo está a Igreja do Bonfim famosa por suas fitinhas presas na grade e uns mts mais abaixo o Bahia Marina com diversas opções de bares e restaurantes.

   De táxi, voltamos novamente a Praia da Barra para relaxar e curtir o Sol que já estava com força total. O almoço foi indicação de uma amiga baiana que já mora no Rio faz uns anos: Caranguejo de Sergipe!  O banquete começou com caranguejo, seguiu com casquinha de siri gratinada, passando pelas torradas ao alho, pastéis de aratu e fechando com o camarão no alho e óleo! Tudo isso bem regado na caipirinha de limão com abacaxi. ( a preferida do meu namo ) J
Caranguejo

Torradas ao alho, pastel de aratu e casquinha de siri gratinada

Camarões ao alho e óleo

   Para completar esse dia bem baiano retorno ao hotel para curtir a piscina, afinal de que adianta se hospedar em um Pestana se não for para usufruir, né?

Nenhum comentário

Voltar ao topo