Salvador – 3º dia: Praia do Forte

"Entrada" da Vila
   Pesquisei antes a respeito de passeios próximos a Salvador. Vi o passeio as Ilhas de Itaparica e Frade, passeio para Morro de São Paulo e Praia do Forte.
   Eu já tinha decido mesmo ir até a Praia do Forte e depois que duas pessoas disseram que lá era lindo tipo a “Polinésia brasileira” não pensei duas vezes!
   A ideia era alugar um carro e ir conhecendo o litoral até lá, mas como imprevistos sempre ocorrem desta vez não poderia ser diferente. Sem carro optamos por pegar o bus na Rodoviária de Salvador. A Linha verde faz o trajeto para lá. Teoricamente os ônibus saem a cada 40 min ( pontualidade baiana! ) e custam uns R$ 8,75 em ônibus “executivo” sem ar condicionado (e por sinal, o ônibus é meio antigo!).
   O trajeto é cansativo! O ônibus vai parando de ponto em ponto e parece que nunca vai chegar. Foram 2h de pára e anda e uma irritação tremenda!
   Mas aí, a luz no fim do túnel aparece e descemos num vilarejo de ruas de pedra e pequenas lojinhas misturadas a restaurantes premiados pelo guia quatro rodas. Que maravilha! Por que eu não tinha vindo antes? Por que não tinha reservado uma noite aqui? Fiquei pensando ...


Barraca de Acarajé

Projeto Tamar Praia do Forte

   Seguindo em direção à praia logo avistamos o Projeto Tamar de preservação às tartarugas marinhas. A entrada custa R$16 e dá direito a idas e vindas durante todo o dia.
   Já tinha lido em alguns blogs que passando pelo Projeto Tamar, seguindo pelo mar alguns minutos chega logo nas piscinas naturais que são formadas na maré baixa. Que paz! Que paisagem! Água cristalina, areia fofa e coqueiros ao fundo. Não queria mesmo sair dali, tanto que almoçamos por ali mesmo, ignorando as dicas para almoçar no Bar do Souza.

Caminho até as piscinas naturais

Praia e piscinas naturais

Acarajé

   O mar estava tão convidativo que optamos por comer um acarajé da Baiana e beber uma água de côco.
De tardinha quando o Sol começou a baixar retornamos ao vilarejo e paramos em um café chamado Café Tango. O forte de lá são as tortas doces, mas para contrariar pedi um sanduíche de mussarela de búfala e salaminho delicioso. E no final como não podia deixar de ser, uma taça de sorvete. J




Fica a dica: na volta os ônibus executivos em direção a Salvador demoram horrores. Se quiser opte pelo ônibus convencional também da Linha Verde que vai para Calçada e que passa pela rodoviária de Salvador.

Nenhum comentário

Voltar ao topo